O preconceito obscuro de cada um


TEXTO DE: JANEIRO, 2016 >
Eu estou aqui olhando a página de postagem e eu não sei por onde começar. Não acho que há um começo, ao menos não tenho tato algum para identificar de onde vem isso. Mas preciso me expressar.

Vi um vídeo de um rapaz do Youtube jogando água em alguém que andava na rua. O assunto começou como polêmica, começaram a chamar esse alguém de mendigo, poderia ser; o rapaz fez um tweet pedindo desculpa e se justificando que todo mundo erra. Erra mesmo... mas isso não justifica o erro dele. E eu acho que é daí que eu começo, quando o fato de todos errarem te faz acreditar que o seu erro não é tão importante porque tem gente pior.

Em meio a grupos e a esses burburinhos que vi na internet, existiam pessoas que ficavam ao lado deste tal garoto e pessoas que eram contra; e, o que era engraçado é que em ambos os lados haviam justificativas esdrúxulas que eu sinceramente não conseguia digerir. Deixo vocês com algumas das frases que li>
- Vocês são ridículas, foi tudo pensado, era fake, relaxa.
- Ele não é uma má pessoa, era amigo dele, tá de boa.
- Isso é coisa de gente invejosa, deixa ele ser lindo.
- Eu ajudo caridade e tenho certeza que ele não fez por mal
- Não é legal fazer isso com mendigo, já não gosto quando carros passam acelerando e cai água em mim.
- Se fosse verdade ele seria um besta, mas é fake, relaxa gente.
- Não é pra tanto, ele mandou tweet pedindo desculpa.
E... acho que o mais terrível>
NUNCA VÍ MENDIGO GORDO, MAS MESMO ASSIM NÃO FOI LEGAL.
Eu fico assustadíssima quando vejo que uma brincadeira ~~ou não~~ tão de mal gosto é justificada com um breve tweet com um pedido de desculpas, e mais assustada ainda quando as pessoas acham que isso está bom! Que já valeu! Pessoas que possuem essa visibilidade, que trabalham com mídias, deveriam encarar as coisas com seriedade. E o que seria seriedade? É fazer algo sério e desculpar-se publicamente. Se o trabalho chegou cedo para essas pessoas, que essas pessoas adquiram maturidade para lidar com tal.

Não estou fazendo discurso de ódio ao garoto ~~por isso não citei nome~~, de modo algum, mas tenho o direito de criticar construtivamente uma atitude ruim e mal resolvida. Não consigo me manter neutra dentro de algo desse tipo, simplesmente vai contra o que eu acredito.

Mas, indo mais a fundo, vemos que o preconceito está em lugares assustadores...

Analisando a frase "nunca vi mendigo gordo" eu vi o quanto as pessoas podem ser opressoras e nem darem-se conta de tal. Uma coisa que devemos lembrar é que um morador de rua ~~mendigo é um termo pejorativo~~ não é da rua. Ele não nasceu lá, ele em algum momento viveu em algum lugar, tinha algo, e por N motivos acabou indo viver na condição de rua. Exato, é isso o termo mais correto, pessoa em condição de rua. Seres humanos não são das ruas, e aceitar isso de modo confortável é errado; tratar isso com naturalidade é errado. Por isso, um posicionamento sobre essa classe, oprimida e sofrida, superficial, equiparando a sua própria vida é sim opressor.

Necessitamos de mais tato. De mais senso de que o mundo não possui a mesma realidade que nós, que somos pessoas privilegiadas por estarmos aqui nesta rede... pois muitas pessoas ~~MUITAS~~ não possuem o mesmo privilégio. Ser uma pessoa ignorante (não de modo pejorativo) não é o problema da questão, mas sim o fato da pessoa ser cruel; e a ignorância não é justificativa para a crueldade (sendo deste garoto ou das palavras que tinham preconceito envolvido). Por isso, deixo minhas impressões e indignações de todo esse burburinho que estava na internet e que serviu como uma luva para eu poder problematizar bem rapidamente preconceito.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.