A cultura mundial nunca foi tão acessível


Você já folheou aqueles livros da livraria de "Literatura Estrangeira"? Essa sessão sempre me deixou muito apaixonada, desde livros em inglês - língua fácil para muita gente, mas que ainda hoje eu as vezes me perco - até livros em japonês, chinês, coreano... russo... Achava que dentro daqueles livros haviam coisas que com certeza mudaria toda a minha experiência de vida, literalmente um mundo novo para mim.......... era um conhecimento tão perto e tão longe ao mesmo tempo. Dependendo de tradutores e editoras estudando se aquele título faria sucesso no Brasil, para então, SÓ ENTÃO, ter que esperar alguns anos para o lançamento. Isso me deprimiu, me deprime e acho que sempre me deixará chateada. O jeito é estudar essas outras línguas né... o negócio é que tem tantas!

Além disso, minhas pesquisas sobre outros países ficava no google pt-br e, no máximo, no google em inglês. Difícil você entender realmente um país quando você não tem pessoas perto. É tipo fazer aquele curso de inglês e chegar na Irlanda e descobrir que você é um analfabeto... ou, numa realidade bem mais próxima, ir para alguma região diferente da sua [geralmente os extremos, cidadizinhas do Sul e/ou Norte] e ficar perguntando o que cada palavra significa. Se a gente já sofre no Brasil, que dirá fora. A hipótese de ter alguém de um país falando para você tudo o que você quer saber sempre foi muito complicado e restrito à pessoas sortudas. Aquela aluna japonesa que foi pra sua escola, e você queria de todo o jeito tentar conversar com ela para entender sobre o país - nunca tive essa sorte.

Porém, é então que as coisas começam ficar mais interessantes. A globalização ferrou muita coisa? Ferrou. Mas trouxe muita coisa boa também! A globalização trouxe a internet, os foruns, os chats, os podcasts e, em específico, o Youtube. Todas essas outras ferramentas tem graus de dificuldade diferentes, mas o Youtube deu liberdade para uma pessoa gravar um vídeo, publicar numa rede mundial e pessoas a seguirem para ouvir o que ela tem a dizer. Olha que incrível!

Quando vemos youtubers com todo aquele "profissionalismo", vivendo daquilo, sendo um trabalho, talvez esquecemos que existe aqueles canais que não estão lá para serem o trabalho de alguém [que fique claro que isso não é um problema]. Existem canais que passam a vida de uma pessoa. Pessoa comum que trabalha e/ou estuda, que conta sua vida, mas que, embutido nisso tudo, conta a sua CULTURA. Isso gente, a cultura de um país, de uma pessoa comum, beeeem pertinho de você. Com ELA te contando! Recentemente encontrei o canal Coreaníssima, em que uma garota coreana, apaixonada por cultura brasileira e que fala português, conta como é a vida na Coreia do Sul. Eu achei isso GENIAL, e comecei a procurar outros e outros canais que tivessem tanto brasileiros em outros países quanto estrangeiros falando em português ou inglês. A experiência direta com pessoas assim me deixa tão animada para conhecer o mundo, sabe? Aquela cultura e aquele mundo que eu aprendi na aula de História é completamente diferente da realidade... e me sinto mais disposta a entender isso.

Eu acho tão genial essa área da globalização, sabe, pois faz com que tenhamos contato com assuntos e pessoas que nunca teríamos sem ela. Quando a gente sabe respeitar a cultura do amiguinho, não é incrível?! Isso se estendeu para várias áreas diferentes! Vou dar um exemplo da gastronomia: TASTY. Essa página no facebook, que produz conteúdos culinários em vídeo possua sua central cujo nome é este mesmo, e existe suas adjacentes, como a TASTY BRASIL, TASTY JAPAN, etc... gente, eu aprendi tanta coisa com a TASTY JAPAN. Quando eu poderia imaginar que eu teria no meu facebook um contato com japoneses fazendo comidas japonesas e eu conseguindo entender tudo o que eles estão fazendo?

Utilizar a internet como meio de conhecer você, o mundo e tudo mais é um modo muito inteligente de se viver. Em vez de ficarmos focados em nossa zona de conforto, utilizando a internet como uma extensão da televisão, temos a oportunidade nunca tida antes de conhecer o mundo. Conhecer diferentes pontos de vista sobre diferentes partes e assuntos do mundo. Nós temos o conhecimento livre em nosso bolso... e geralmente desperdiçamos isso. Porque a globalização chegou, mas o comodismo também. Em vez de estarmos mais dispostos a viver com todos os avanços tecnológicos, estamos mais dispostos a ficar em nossos sofás, olhando facebook e comentando da vida alheia - uma extensão da janela da fofoca, talvez? -. 

É difícil, em meio a tantas políticas de "consumo fácil e sem preocupação" termos a força de vontade de buscar o A MAIS. Mas é o que fará diferença entre eu, você e os outros. Nós termos interesse em estudarmos o mundo com as dádivas que temos nas mãos. Ir além. Nossa tecnologia já vai, mas nós estamos estagnados. A cultura mundial nunca foi tão acessível, mas a gente não dá a mínima.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.