Header Ads

A tentativa de blogar ao lado de um felino

TEXTO DE: JANEIRO, 2016 >
Olá visitante, se você é novo, achará que este post é esquisito, mas caso você já me acompanhe saberá que adotei esse little cat a pouco tempo. Contudo, o que ninguém sabe é que este é meu primeiro animalzinho de estimação (tirando meu peixe Tatá e meus 5 hamsters Floquinho, Bolinha, Carlão, Belinha e Fofa). Lhes apresento agora, Samhain, meu gatinho morcego de olhos amarelos.
Foi da noite para o dia... decidi que precisava de um gato. Simples assim, um gato. Não sabia como era para cuidar, não sabia se fazia sujeira ou não, não sabia de coisa alguma do universo felino, mas decidi que queria. E em meio desta inconsequência, pessoas me impediram deste desejo se concretizar naquele exato instante... mas ele se concretizou 2 dias depois. Como? Já explico.
Me impediram e pediram para que eu pesquisasse sobre. Shay, um gato é uma vida, aprenda como é para que ele não sofra - me disseram. Mas ele não iria sofrer! É óbvio que eu daria todo o amor que ele necessitasse... mas, eles tinham certa razão. Eu não poderia colocar a vida de um pequeno em risco... era muita inconsequência. Foi então que fui atrás... e enquanto pesquisava sobre essas pequenas criaturas, eu comecei a pesquisar felinos para adotar.

Em meio a pesquisas e grupos de adoção, eis que surge uma garota e me simpatizo com ela. Entro em contato e ela diz que possui alguns que ela resgatou e que me enviaria fotos. Em meio a isso, algumas outras pessoas me enviando fotos de felinos pretos de olhos amarelos... mas eu não queria preto; idealizava um cinza bem peludinho, pronto para aperta-lo. Eis que me surge fotos desta tal garota e adivinhem só: o mais lindo de todos era um pequeno bichano preto. Olhos azuis apaixonantes e uma carinha de que precisava de amor... isso lhe rendeu um lar. Quando ele chegou, seus olhinhos eram amarelos (normal, gatos bem pequenos tem a cor dos olhos alterada com o crescimento). Tantos outros pretos de olhos amarelos... e eu o escolhi - pensei eu. Com o tempo vi que fazia todo o sentido. Esse pequeno felino era uma criaturinha que precisava de amor incondicional... e eu, somente eu, teria a paciência de dar a ele.



E em meio a todos esses choramingos de quem NECESSITA de colo e cafuné (o tempo t-o-d-o), percebi que blogar não seria mais a mesma coisa. Esse pequeno Samhain ficaria deitado comigo na cama, puxando a minha mão do mouse para sua cabeça, subiria nas minhas costas e até mesmo fecharia o computador... tudo por amor. Ousei fechar algumas vezes a porta do quarto para poder escrever em paz... e enquanto escrevia, ouvia miados perto da porta, de quem está chocado que foi colocado para fora. Pois é, blogar realmente não seria a mesma coisa.

Enquanto escrevo isso, o pequeno está jogado em minha cama dormindo. Confesso que sinto o pelo dele passando pela minha perna e o pequeno pulinho de quem está aprendendo ainda a pular (é a coisa mais fofa, ele balança o bumbum e pula!) para subir na cadeira e ficar aconchegado no meu colo. Essas fotos do post e até a ideia do mesmo me surgiu quando ele estava impedindo o meu digitar de outra postagem. Peguei a câmera e comecei a fotografá-lo, e esse pequeno bichano adorou a brincadeira... até que ele cansou e dormiu novamente. rs

Sempre ouvi dizer que gato era traiçoeiro e por isso nunca desejei tê-los. Hoje, parafraseio a frase de um texto que li sobre o contato do gato com o ser humano, eles apenas vêem a áurea do ser humano, e por isso, quando sedem seu amor a alguém é porque ele vê a mais pura sinceridade naquele alguém.








Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.