Header Ads

Cadê o papai?


TEXTO DE: MARÇO, 2016 >
Estava sentada conversando com algumas amigas... amigas da minha idade, com seus belos 20 e poucos anos. Orgulhos do papai, trabalham/estagiam, não dão trabalho, são corretas... realmente, orgulho. Contudo, o orgulho é uma via de mão única, pois os tais "pais" que se sentem orgulhosos de nós, não nos orgulham.

Sinceramente, cansei de ficar calada pelo que sofro e sofri por aquele que eu chamei de pai. Com o tempo, eu passei a cortar meu silêncio e dividir aquilo que me envergonhava, e percebi que "a minha relação com meu pai" também envergonhava outras amigas minhas pois elas tinham relações parecidas. Por muito tempo, MUITO MESMO, eu tinha vergonha de dizer que sofria pela ausência do meu pai, de falar com ódio nos olhos "ELE NÃO ME LIGA NUNCA! E SEMPRE DIZ QUE IRÁ ME RETORNAR E NÃO RETORNA!", pois meus amigos me apoiavam e aí, quando eu falava com ele ou ele simplesmente me mandava um "oi filha, te amo muito" via whatsapp, eu me derretia e me sentia culpada por aquilo que havia dito. Eram inúmeras tentativas de fazer com que ele dialogasse comigo, eu lembro que a um tempo atrás puxei assunto falando sobre um filme que tinha a ver com a carreira dele e ele conversou MUITO comigo... e eu estava na sala com o diretor do filme... e eu comecei a chorar naquela sala porque o meu pai estava conversando comigo! Ele realmente estava conversando comigo! Achei, na minha ignorância, que ele conversaria mais comigo dali por diante... pedi para um amigo me falar mais sobre jogos atuais para poder puxar assuntos... precisamente, jogos que ele jogava, pois percebi que nós conversávamos quando era um assunto que o interessava. Mas, foi quando ele quebrou os nossos laços que eu entendi... eu entendi que nós nunca conversamos porque EU nunca fui um assunto que o interessasse.

Dizer isso não lhe dói Shay? E como dói. Dói muito dizer que aquele cara que você achava que nunca iria quebrar o seu coração, destruiu ele. Dilacerou. Mas... eu não estou aqui para ser dramática. Não estou aqui para contar apenas a minha história e fim. Estou aqui, me motivei a escrever esse texto por todas essas garotas e garotos que sofreram e sofrem pelos seus pais. Minha dúvida é, como é que eles conseguem achar tão fácil abandonar um filho?

Ser pai. PAI. O que é ser pai? Em tese, é ser a mesma coisa que a mãe. As MESMAS obrigações para os dois. Mas não, pai de facebook é ótimo. Ser chamado de paizão, de o caralho a quatro. Cadê o pai de cada uma dessas crianças e de pessoas hoje já adultas como eu que não tiveram os pais além do facebook? Minha época não tinha facebook, então nem isso eu tive. Me acostumei a conversar com meu pai 1 vez por mês, achava isso normal... mas hoje? Hoje não acho mais. Hoje não aturo o ato machista do abandono. Machista sim, porque homem machista acha que a criança deve ser cuidada pela mãe, e o pai ~~SUPOSTAMENTE~~ trazer o dinheiro......... ATÉ SE SEPARAREM, porque aí, claro, é problema da mãe.

Eu sei que esse tipo de coisa também acontece com mães que abandonam... mas, pessoa que sofreu isso, lhe conto que você é uma exceção. Vemos adultos, jovens e crianças sofrendo com a ausência paterna e sendo forçadas a encarar isso como algo normal. NÃO, NÃO É NORMAL. E hoje eu posso dizer, não, ele não te ama como você o ama. NÃO AMA. Amar não é pegar a cada 15 dias, amar não é mandar uma miséria de pensão ou nem mandar, amar não é ele só conversar com você quando ELE quer, amar não é ele te forçar a andar como ele quer. Seu pai é machista, seu pai não te ama e fica tranquilo porque a sociedade aceita o jeito dele ~~SUPOSTAMENTE~~ demonstrar, porque, sabe como é, homens são assim...

Participo de um grupo no facebook de garotas e minha publicação foi a seguinte: Manas, escreverei um texto sobre COMO OS HOMENS NEGLIGENCIAM A PATERNIDADE... Eu conheço inúmeras garotas que tiveram pais ruins. Sei que há muitas mães péssimas, mas... pais... são a maioria que abandona! É impressionante. O que vocês acham desse tema? Querem me ajudar a debater?
E me surpreendi com a quantidade de relatos... relatos esses que deixarei trechos.
"Meu pai sumiu no mundo quando eu tinha 5 anos Fugiu de todas as audiências de pensão alegando insanidade"
"Mas é machista, é mal educado , é arrogante, usa o dinheiro que ganha escondido e nao fala pra minha mãe, ele mente, esconde ate comida que compra, no carro é o SR Motorista, é grosso, estupido , xinga.. ele é folgado de nao querer ajudar trabalhando , nao quer nada com nada, nem a pagar as contas, minha mae que se vira sempre , mas quando precisa arranja dinheiro pra ele em 2 tapas (...) Eu não sei lidar. Sinceramente , não nos damos bem."
"Meu pai era caminheiro, sumia por meses,quando aparecia,só trazia toneladas de roupas sujas pra minha mãe lavar. Minha mãe se virava pra sustentar 3 filhas pequenas. Ele bebia,não se importava se tínhamos comida em casa ou não."
"Pagar 200$ de pensão por mês e pegar a cada 15 dias é maravilhoso. E se vc pede pra aumentar a pensão eles acham um absurdo. Da nem pra um tênis. Nem pro convênio médico. Como se fosse só esse o gasto que uma criança tem. E ainda vira pra vc e fala "é, até que vc tá cuidando direitinho"... Ahhhhh meu cu pra isso. Eu cuido sim, cuido muitíssimo bem. Dou carinho, atenção, amor, educação. Quando vai com o pai, a mala vai com roupa limpa, leite pro fds, fralda. Volta com roupa suja, sem leite e sem fralda. Ai posta fotinho e ainda ouve "paizão" e eu que tô aqui me fodendo de tanto me virar no avesso pra cuidar, ouço "Pq abriu as pernas?"."
Fico sinceramente com raiva da sociedade que mantém impune este tipo de posicionamento. Eu não preciso que você me ame curtindo as minhas fotos, eu preciso que você me ame entendendo que sou sua filha e preciso de você, sentimentalmente e financeiramente! Afinal, porra, sou sua filha... minha mãe não me fez sozinha!

Um dos relatos que não coloquei aqui porque era muito grande, contou que o pai mudou de país, negligenciou ela e os outros irmãos e casou-se novamente. Já outro relato, era de um pai que era presente somente com os filhos do novo casamento, e minha opinião sobre isso é que ele só é ~~presente~~ porque está dentro de casa... mas quando (e se) sair, levará os filhos como levou os antigos. Simples.

Hoje enxergo a verdade e acho que ela deve ser contada para os filhos desde cedo (e do melhor jeito possível, óbvio). Falar que o pai não a vê com frequência porque "trabalha", porque está "cansado", são mentiras que as mães contam a seus filhos para remediar o momento, mas mal sabem elas que eles crescerão frustrados e sofrerão bem mais ao perceberem que a sua vida foi uma mentira. Poxa, nossas mães trabalham (dentro ou fora de casa), ficam cansadas e NUNCA nos negam amor. A mãe possui uma responsabilidade muito maior que o pai, imposta pela própria sociedade. Muitas são felizes com isso, outras não, mas a unanimidade é que elas sofrem MUITO para criar as crianças quase sozinhas, e ainda aceitando que não terão todo o prestígio que merecem, pois fazem a criança amar o pai que não se esforça para ser amado.

Exatamente, esse é o ponto, a mãe (e a sociedade) faz a criança amar o pai que NÃO SE ESFORÇA para ser amado. Os pais erram, os pais esquecem seus filhos dentro de carros, os pais deixam os filhos dormirem tarde para assistir aquele filme de ação em dia de semana; mas vai a mãe permitir que o pai deixe a criança ficar até tarde acordada todos os dias... o pai perguntará "por que você ainda não as colocou para dormir?" e a sociedade, as "tias" da escola e a mãe dos coleguinhas lhe julgarão porque você deixa as crianças na mão do pai. Escuto e escutei muito as pessoas dizerem "Ah, mas a criança precisa de uma figura paterna...", precisa? Precisa de uma figura que dá maus exemplos mas que se faz necessária simplesmente por ter um pinto entre as pernas? As crianças não precisam da figura paterna como a figura "HOMEM" mas sim como a figura de PAI, seja ela preenchida pelo próprio pai, pela mãe ou aquela tia que sempre se faz presente. Vi pai desfilar com o filho pelos amigos e a mãe falar para mim envergonhada "ele não deu dinheiro nem para comprar o berço... quem comprou tudo foram os padrinhos", aí é fácil ser pai, né?

Vivemos em uma sociedade que acredita que a figura paterna é uma divindade, que """""privar"""""" a criança deste é tirá-la um braço. Não gente, melhorem... o importante não é ter um pai para chamar de pai, mas sim ter um pai que se faça pai, e disso o mundo está carente. Com o surto de hidrocefalia no Brasil que aconteceu (e vem acontecendo) nesses últimos tempos, vi depoimentos de inúmeras mulheres abandonadas pelos maridos com a justificativa de que lhes deram filhos com defeito, no nordeste 70% das mães que tiveram filhos com hidrocefalias foram deixadas pelos maridos. Ainda hoje vemos homens reclamando com as mulheres pelo sexo de seus filhos (em sua maioria, querendo o sexo masculino e rejeitando o feminino), sendo que sabemos a cinco mil e quinhentos anos ~~ok, nem tanto assim~~ que quem decide o gênero da criança é obrigatoriamente o pai.

Ver o descontentamento de inúmeras mães, a tristeza de incontáveis filhos pela ausência de seus pais e pela sua falta de sensibilidade para com eles só me faz entender o quanto esta figura está ficando cada vez mais defasada. Foram CENTENAS de anos dando crédito a um grupo que não fazia nada para ter o gigantesco título que tinha e ainda hoje vemos homens e mais homens reproduzindo tais atos centenários; porém, HOJE, FINALMENTE, vemos mais e mais mulheres não ficando mais caladas e reivindicando o que é delas por direito... por mais que não sirva de nada perante a justiça (abro este parêntese para relatar um caso que conheço da moça que pediu pensão alimentícia e a juízA permitiu que o pai pagasse apenas 200 reais e ainda disse para a moça que era para ela trabalhar para sustentar já que "abrira as pernas", COMPLETO ATO DE MACHISMO).

Fazer este texto me fez quebrar ainda mais o meu tabu de falar sobre esse assunto, sobre a ausência do pai biológico, e acho que todos devem quebrar! Outras pessoas construíram a minha educação, agradeço ela a toda a minha família por ter me educado e por ter me feito ser quem sou hoje. 

Agradeço a cada pessoa que estava ali comigo dia-a-dia, mesmo longe. Porque é outro mito o de "seu pai mora longe, por isso ficam assim", quem é pai presente, é pai presente longe ou perto.

Por mais famílias menos patriarcais! E pela obrigatoriedade da responsabilidade daquele que ajudou a fazer!

PS. Feliz dia das mulheres <3 (8/3)





Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.