Header Ads

Qualé o poder da Karol Conka


TEXTO DE: ABRIL, 2016 >
A gente vai direto no Wikipédia. Me fudi. Tem quase nada dela, alias, tem aqueeeeeele básico, sabe? Aquele básico que você nem liga e não é nem metade do que representa essa mulher. Eu vou pegar algumas dessas informações e contar para vocês: Karoline de Freitas Oliveira, tem 29 anos, participou dos grupos Agamenon e Upground (que por sinal não achei nada pelas net) e ela é de Curitiba.

Mas, ok, e o que eu tenho para falar dela? Eu tenho para falar que ela TEM Ô PODER. E por quê? Agooora é que você vai saber quem é a bicha.

Vamo começá... Eu li muito muito muito sobre ela, mas farei um apanhadão, porque se não é cópia de matéria e aí não é legal né? Também falarei dos meus pontos de vista sobre a Karol e enfim, acompanha aí.

A Karol é feminista - yeeeey - e isso nela surgiu antes dela saber o que era realmente feminismo, pois ela sempre se importava em colocar para o mundo que a mulher faz o papel que ela quiser e que homem nenhum tem que dar opinião sobre o que fazemos ou não. Isso é muito foda, sabe? Porque tanta gente diz que feminismo não existe, e eu simplesmente não consigo entender como podem pensar isso... feminismo não é uma construção, é um sentimento que surge naquelas que não conseguem seguir o que o machismo impõe.

É óbvio que ela, como mulher negra, traria também, ou melhor, principalmente, o  empoderamento feminino negro, e ela faz isso desde a sua aparência até seu discurso. A Karol é uma garota fora do padão, ela tem tudo o que aquele esteriótipo diz para não ter e não fazer... negros não ficam bem de cabelo colorido, negros não devem utilizar o penteado afro ou as tranças, negro tem que alisar o cabelo, negro não pode usar maquiagem colorida porque "não pega", negro tem que usar blush meio marrom e não rosado... sabe? Todo esse monte de merda que você, menina negra, escuta? Então, a Karol é o oposto disso, ela se rebelou contra esse padrão de gentinha toda igual e resolveu mostrar que ela E QUALQUER MULHER pode ser ela mesma. Ela contou pra uma entrevista que já enfiou o braço na água sanitária para tentar ficar branca... isso me dói muito o coração, mundo de merda, né?

A Karol já viajou para alguns países fazendo show e por onde ela passa as revistas dizem que o mundo deve conhece-la mais e mais. Tudo isso porque ela é uma rapper muito profissa, que encaixa a batida pop em suas músicas e as deixam ainda mais fantásticas. Ela é aquele exemplo que deve ser seguido. Vemos inúmeras cantoras que antes eram MCs e afins entrando para as baladas e com isso começam a seguir o padrão socialmente aceito... sinto que perdem a identidade. Não é porque a sociedade impõe algo que você deve segui-la, padrões são feitos para serem quebrados, o ser humano é muito mais complexo que uma linha industrial de gente igual.

Deixo agora para ouvirem e assistirem algumas aparições da Karol por aí, peço relevância
por todas as da lista
no clipe Tombei e na apresentação dela e da MC Carol no Lollapalooza desse ano!







Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.